UOL Entretenimento conversa com Josh Smith

A sessão de Entretenimento do UOL realizou uma matéria sobre o Halestorm, seus álbuns, show no Brasil com alguns comentários do baixista da banda, Josh Smith. 

Confira abaixo:

O norte-americano Josh Smith não sabe ainda muito sobre a América do Sul, chegando a achar que Manu Chao é um artista brasileiro, mas curiosidade não falta ao baixista da banda Halestorm. "A gente está muito ansioso, nossas expectativas são altas por conta do que os fãs falam", diz o músico, que se apresenta com o grupo em São Paulo neste domingo (16).

Grupo vencedor do Grammy em 2013 com a música "Love Bites (So Do I)" na categoria "Melhor Performance de Hard Rock/Metal", o Halestorm existe desde o final da década de 1990, mas que só conheceu a fama a partir de 2009. Pela primeira vez no Brasil, os artistas norte-americanos vão mostrar aos fãs o seu trabalho mais recente: "The Strange Case Of...", lançado no ano passado.

Conjunto de família, o grupo foi formado pelos irmãos Lzzy Hale e Arejay Hale e até o ano de 2004 contava com o pai deles, Roger, no baixo. Foi quando Josh Smith assumiu a posição. Já aclimatado ao grupo, o baixista relata estar em sintonia com os membros e não vê problemas no foco da banda estar quase sempre voltado à vocalista e guitarrista Lzzy. "É algo diferente no nosso estilo de música, uma mulher que está à frente de uma banda de metal, a banda é a voz dela", afirma. "A gente sempre entendeu isso, nunca me chateou ou sequer afetou."

Segundo o roqueiro, quem comparecer ao Carioca Club na capital paulista deve esperar por um show sem violência, mesmo com o som pesado. "A gente sempre se diverte, nossa plateia não é brava, é um pouco diferente de outros grupos", conta Smith, integrante de uma banda que já lançou até cover de Lady Gaga. "Isso prova como o nosso público é divertido, não lembro quem sugeriu que a gente tocasse isso. A gente simplesmente obedeceu!"

Apresentado à música de Manu Chao por fãs brasileiros, Smith se impressiona com o fato de uma banda de metal, que canta em inglês, conseguir ter sucesso por aqui. "É muito gratificante, é muito legal saber que alguém mesmo de longe pode curtir a sua música. A gente aprende muito com eles [os fãs]", afirma.

Turnê e novo álbum
Com pouco tempo de férias desde que lançaram o primeiro álbum há quatro anos, os integrantes do Halestorm não sofreram com a pressão durante a gravação do segundo disco. "A gente se divertiu muito fazendo. Esse é o tipo de música que a gente curte fazer", afirma o baixista, que destaca "You Call Me a Bitch Like It's a Bad Thing" e "It's Not You" no repertório. "Claro que durante o lançamento deu um pouco de medo, sempre existe um receio de as pessoas não gostarem da sua música."

Smith revela que o grupo possui 25 músicas sendo compostas, todas passíveis de surgir em um álbum novo. "A gente tem um monte de material, são sempre ideias simples, todos as apresentam", conta. "Espero que em algum momento do ano que vem o disco chegue."