El Paso Inc: Vitória no Grammy desperta o lado criativo do Halestorm

A vocalista e guitarrista Lzzy Hale conversou com o El Paso Inc sobre o prêmio do Grammy conquistado com o single Love Bites (So Do I) e também como ela se sente ao compor novas músicas.

Leia abaixo:

Seria um eufemismo dizer que Halestorm ficou chocado no início deste ano, quando "Love Bites (So Do I)" ganhou o Grammy de Best Hard Rock/Metal Performance. Antes disso, a única conversa que se aproximou mais dos Grammys não foi sobre ser nomeado, muito menos ganhar.

"Durante anos nós não prestamos atenção a esse lado das coisas, porque nós descobrimos que ninguém nunca realmente iria notar o nosso gênero. Bandas como nós não tem Grammys", disse a vocalista / guitarrista Lzzy Hale em uma entrevista por telefone de um mês antes de sua banda fazer um show no dia 27 de maio, no Balloonfest KLAQ.

"Estamos somos, entre eu e os meus colegas no mundo do rock, nós somos meio hipócritas, porque nós ficávamos como, 'Ah, dane-se os Grammys. Nós não precisamos de Grammys.' ou qualquer outra coisa", disse ela. "Então, de repente, você é indicado ou ganha um e fica como, 'Yeah! Nós amamos o Grammy!".
Em toda a seriedade, Hale disse, o impacto da vitória Grammy de Halestorm foi profundo - e em vários níveis.

"Essa experiência mudou definitivamente a minha perspectiva e tudo", disse Hale. "Não estávamos tão loucos quanto pensávamos (para iniciar a banda). E os nossos pais não eram tão loucos quanto eles achavam que estavam por nos deixar fazer isso. E todo mundo que nos apoiou, todos os proprietários dos clubes, todas as bandas que nos permitem abrir para eles, que não era algo que eles viram e talvez nós estávamos fazendo a coisa certa."

Em um nível prático, ganhar o Grammy deu um impulso às vendas dos dois álbuns de estúdio do Halestorm, o auto-intitulado de 2009 e do ano passado, "The Strange Case Of...". Ele também abriu as portas para melhores oportunidades para turnês e outros projetos que podem aumentar a conscientização da banda.

Mas ganhar o Grammy também afetou Lzzy Hale de outra maneira que ela nem imaginava.

"Outra coisa que isso significou pra mim, e isso é mais recente, é que eu acredito que estou escrevendo mais livre agora." Ela disse. "Eu não estou tentando forçar nada pra rádio e nem tentando agradar a gravadora, nem produtor, nem meus companheiros de banda, nem ninguém. Eu tinha perdido um pouco da liberdade no meio da confusão da política de negócios da música e tive que lutar contra isso nos dois últimos álbuns."

Hale, na verdade, já tinha começado a escrever mais instintivamente no “The Strange Case of…” mas nem tanto, pois havia uma certa cobrança como compositora e pelas circunstância que cercaram o álbum.

O primeiro CD da banda se tornou popular o bastante (isso inclui 2 top 10 rock singles, “ I Get Off” e “ It’s Not You”) para manter a banda em turnê por dois anos, até que já fosse hora de gravar um segundo CD.

“Nós terminamos a turnê e tivemos literalmente 24 horas para arrumar tudo e ir direto pro estúdio no dia seguinte”. Disse Lzzy, levando em conta que a banda tinha somente algumas músicas e algumas idéias vagas em mãos quando chegaram no estúdio.

Mas tendo que compor e gravar um disco com um prazo apertado acabou se tornando uma boa coisa, Hale disse.

“Agora quando eu olho para trás eu vejo que foi muito libertador” disse Hale. “Nós não tínhamos tempo para envolver nossos cérebros. Nós deixamos a música nos levar. Nós estávamos somente correndo atrás do que nós animava... eu sinto que eu consegui tirar o melhor de mim porque eu tenho a tendência de pensar demais”.

A maneira em que o “The Strange Case Of...” foi escrito também ajudou a trazer novos elementos nas composições da Lzzy e no som do Halestorm em geral.

“Eu sou uma mulher, apesar de tudo, então eu sou um pouco multifacetada e não consigo ser só uma pessoa o tempo todo.” Disse Lzzy “Eu acho que como nós não tivemos muito tempo para fazer esse ultimo CD eu não tive muita escolha a não ser colocar tudo pra fora e esperar que todo mundo aceitasse tudo o que eu estou falando”.